Espetáculo árabe inédito acontece na Sala São Paulo

Espetáculo árabe inédito acontece na Sala São Paulo

No dia 12 de agosto, a Sala São Paulo receberá o espetáculo Al-Mu’tamid, poeta rei do Al-Andalus (1040/1095) – Uma Viagem por dez séculos de música e interculturalidade que abre a 12ª Mostra Mundo Árabe de Cinema de 2017. Uma correalização da Fundação Osesp, do Instituto de Cultura Árabe (ICarabe) e da Câmara de Comércio Árabe Brasileira, o projeto, que chega pela primeira vez ao Brasil, apresenta a música e a poesia do século XI, seguindo a rota do rei-poeta Al Mut’amid no norte da África e Andaluzia.

Um conjunto de músicos e intérpretes cantam os poemas do Rei Al Mut’Amid nas línguas dos três países herdeiros do legado andalusino: Filipe Raposo, Janita Salomé e Quiné Teles de Portugal; Eduardo Paniagua e Cezar Carazo de Espanha; El Arabi Serghini e Jamal Ben Allal de Marrocos. O concerto é acompanhado pela projeção de imagens que documentam a viagem pelo território da sua vida, testemunhando e atualizando todo o imaginário de uma relação territorial e cultural secular.

Segundo o curador do concerto e da mostra de cinema, Geraldo Campos, “o espetáculo Al-Mu’tamid converge perfeitamente com o tema de curadoria da 12ª Mostra Mundo Árabe de Cinema de 2017, que é ‘O território que habita em mim’”. Ele avalia que, ao trazer pela primeira vez para o público brasileiro essa experiência de uma viagem pela Andaluzia do século XI, “o espetáculo nos remete ainda a um outro Brasil, às camadas históricas que fazem parte da formação da própria música brasileira em suas matrizes árabes e ibéricas”.

Participar da realização desse espetáculo tem um valor especial para a Câmara de Comércio Árabe-Brasileira. Este ano, a entidade está comemorando 65 anos de atuação no Brasil e a realização deste concerto, que já foi apresentado em algumas das principais salas de espetáculo da Europa e do mundo árabe, engrandece o calendário de comemorações pela data.

“Estamos, uma vez mais, cumprindo o papel de integrar as culturas árabe e brasileira, oferecendo uma mensagem de coexistência entre diferentes povos e culturas por intermédio da arte”, comenta a diretora de Cultura da Câmara Árabe, Silvia Antibas. Ela acrescenta ainda que o espetáculo mostra um dos caminhos da influência da música árabe na formação da música brasileira, através dos sons e tons ibéricos e mediterrâneos.

“Trata-se de um espetáculo que diz muito da nossa história, do Brasil e de São Paulo, de hoje e do passado”, diz o diretor executivo da Fundação Osesp, Marcelo Lopes. “A Sala São Paulo abre suas portas para um concerto inédito, com raízes árabes e ibéricas, potencializando o motivo condutor da Temporada Osesp 2017, Mundo Maior, procuramos apresentar e explorar manifestações artísticas que abraçam e expandem, que dialogam com as diversas culturas, que nos formam como povo e transformam a nossa cosmovisão” explica Lopes.

Num tempo em que se assiste a fortes clivagens culturais e religiosas, alimentadas por velhos e novos conflitos político-territoriais, é particularmente pertinente reavivar os valores de um legado cultural que deve a sua longevidade precisamente à diversidade de povos e culturas, religiões e cultos, tradições e costumes, tecidos ao longo de séculos de convivência, de cruzamentos e de reciprocas influências.

Realizar esta possibilidade através deste grupo de músicos e da linguagem universal que a música constitui, vincula uma verdadeira mensagem de paz. “Enquanto muitos espalham o medo, buscamos afirmar a arte como possibilidade de coexistência”, finaliza Geraldo Campos.

 

Serviço:

Al-Mu’tamid, poeta rei do Al-Andalus (1040/1095) – Uma Viagem por dez séculos de música
Dia 12 de agosto de 2017, às 22h
Local: Sala São Paulo
Ingressos: R$ 30,00 (inteira) | R$ 15,00 (meia) à venda na Bilheteria da Sala São Paulo ou pelos demais canais da Ingresso Rápido – (11) 4003-1212 ou www.ingressorapido.com.br

Sobre o autor

Teve a ideia de criar o Sobreviva em São Paulo, foi lá e fez. Jornalista, trabalha com social media e gosta de uns rolês roots. Acampa no mato, sobe montanha e vive na selva de pedra. Já quis ser detetive, salvar o mundo e fugir com os ciganos. Tem uma relação de amor e ódio com São Paulo, fica para ouvir músicos de rua e corre para nunca chegar atrasada.

Comentários