Projeto circense leva diversão a comunidades da Grande São Paulo

Projeto circense leva diversão a comunidades da Grande São Paulo

O projeto De Olho no Duto almeja atingir mais de 150 mil pessoas em dois anos

Cortejo de palhaços, acrobatas e malabaristas, oficinas, apresentações e bate-papo com a comunidade. Um dia inteiro de ações circenses promovendo cultura e cidadania para convidar a população a refletir sobre temas importantes. É assim que o projeto De Olho no Duto vem passando por cidades de São Paulo e criando laços entre artistas e comunidade.

Neste mês, as ações estão acontecendo em comunidades na Zona Leste, Zona Sul e Zona Oeste da capital; em Guarulhos, Santo André, Santos, São Bernardo do Campo e Osasco.

O projeto é desenvolvido por meio de uma parceria entre a Transpetro e o Instituto Cultural Escola Livre de Palhaços – ESLIPA e propõe um dia inteiro com arte de graça para as comunidades, promovendo um grande encontro do palhaço com o indivíduo comum, alegrando moradores e envolvendo o público de todas as idades.

Os artistas buscam sensibilizar as pessoas para a realização de ações que melhorem suas condições de vida. Promovendo o acesso à cultura e detectando possíveis agentes culturais que possam multiplicar essas ações, o projeto propõe o fortalecimento dos vínculos entre a comunidade e também com os próprios artistas, que realizarão visitas às mesmas comunidades durante o período de dois anos.

Segundo Lilian Moraes e Richard Riguetti, responsáveis pelo Instituto ESLIPA, “o projeto visa a promoção dos direitos humanos e da cidadania, a inclusão social, o respeito à diversidade humana e cultural das comunidades impactadas pela Transpetro. Todas as atividades do projeto são realizadas em espaços públicos abertos”.

Segundo a Transpetro, “o projeto tem premissas básicas de transformação social, calcadas na formação cidadã, no engajamento das comunidades, na atuação forte da divulgação dos canais de comunicação e ações e informações preventivas, além do desenvolvimento do senso de pertencimento local.

No estado de São Paulo, o projeto é representado pelos artistas do Circo do Asfalto e da Pequena Trupe de Circo, grupos compostos por ex-alunos do Instituto ESLIPA – Escola Livre de Palhaços. Confira abaixo o cronograma das interações do projeto até o fim deste mês:

Apresentações do Circo do Asfalto
– 24/11 (sábado) – Horário: 13h às 17h – Onde: Ao lado da Faixa de Dutos – Alameda Minas, alt 40 – Pq São Bernardo – São Bernardo do Campo;
– 29/11 (quinta-feira) – Horário: 9h às 16h – Onde: CRESAN Butantã – Rua Nella Murari Rosa, 40 – Jardim Jaqueline – Zona Oeste – São Paulo.

Apresentações da Pequena Trupe de Circo
– 23/11 (sexta-feira) – Horário: 14h às 16h – Onde: E.E. São Pedro – R. Plínio Dionísio de Freitas, 280 – Jardim Sapopemba, São Paulo-SP – Núcleo Artístico – Oficina gratuita;
– 24/11 (sábado) – Horário: 14h às 18h – Onde: Quintal do Seu Luiz e Dn. Salete – Rua da Humildade (Próximo a Faixa de Dutos) – Jd. Santo André – Zona Leste – São Paulo-SP;
– 25/11 (domingo) – Horário: 14h às 18h – Onde: Quadra na Rua Attílio Bartalini, s/n – Cidade Nova Heliópolis – Zona Sul – São Paulo-SP.

Observação: o Sobreviva em São Paulo não se responsabiliza por possíveis alterações nas informações acima, que são válidas até a data de publicação.

Sobre o autor

Publicitário, especializado em Marketing e Comunicação Integrada. Amante da vida, encantado por pessoas e suas singularidades. Fã inveterado de filmes de terror, ouvinte assíduo de música jamaicana e rock pesado. Vive uma relação de amor e ódio com São Paulo. Ótima companhia pra uma cerveja gelada. E, claro: Vai, Corinthians!

Comentários