Edifício Martinelli em São Paulo terá observatório com café e lojas

Edifício Martinelli em São Paulo terá observatório com café e lojas

Com previsão para Abril, implantação do Observatório terá como referências o Terraço Itália e o Farol Santander 

O famoso prédio no centro de São Paulo, Edifício Martinelli será concedido a iniciativa privada para implantação e manutenção de um observatório. A concessão foi realizada pela Prefeitura de São Paulo, por meio da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Urbano (SMDU) e a SP Urbanismo. Serão concedidos os andares 25, 26 e 27 do prédio, bem como a loja 11 (térreo), localizada na Avenida São João.

Os visitantes também desfrutarão de um núcleo de recepção, com venda de ingressos e centro de informações turísticas. No antigo serviço, as pessoas aguardavam no próprio calçadão, visto que não existe uma área para esse fim, tampouco bilheteria. Na acessibilidade, ao menos um novo elevador, exclusivo para visita, será ofertado à população. E, por fim, a visitação se tornará mais completa, afinal será possível conhecer os espaços cobertos existentes, incluindo o palacete do Comendador Martinelli.

O próprio serviço de visitação será ampliado, funcionando ininterruptamente, todos os dias da semana, em um horário contínuo mínimo de dez horas por dia. Anteriormente, o espaço era aberto somente de segunda a sexta-feira, das 9h às 11h e das 14h30 às 16h, e de sábado, das 9h às 13h.

O aumento do período de funcionamento consolidará o local como destino turístico e contribuirá para a geração de movimento de pessoas para o entorno do edifício e na região do triângulo histórico, sobretudo, à noite e aos finais de semana, quando a maioria dos estabelecimentos, escritórios e repartições públicas estão fechados, melhorando as condições de segurança e gerando desenvolvimento econômico. A concessão está com o edital aberto e seguirá para os próximos passos com as demais parceiras privadas. A previsão de abertura do edital, segundo a pasta, é no mês de abril

A cobertura do Edifício Martinelli possui um terraço do qual se tem uma visão panorâmica da cidade de São Paulo em 360°. O espaço possibilita uma impactante visão da região central, com vistas para Catedral e Praça da Sé, Pátio do Colégio, Largo e Mosteiro de São Bento, Vale do Anhangabaú, Teatro Municipal, Edifício dos Correios, viadutos do Chá e Santa Ifigênia, Edifício Matarazzo, eixos das avenidas São João e Prestes Maia e o Parque D. Pedro II. Ainda é possível visualizar, em escala metropolitana, o espigão da Avenida Paulista, a Serra da Cantareira e as regiões do Brás e da Mooca.

O terraço, aberto à visitação pública entre 2010 e 2016, já recebeu cerca de 260.000 pessoas, tendo uma média mensal de 7.000 visitantes. Apenas em 2016 foram 85 mil visitantes espontâneos. Além do interesse histórico e turístico, o Edifício também é foco de interesse de produtores para realização de eventos diversos, como festas, filmagens, fotos e comerciais. Entre 2015 e 2017 foram realizadas 33 locações do espaço para essas atividades.

O Edifício Martinelli é um dos primeiros arranha-céus do Brasil e da América Latina. Localizado no centro de São Paulo, entre as ruas São Bento e Libero Badaró e a Avenida São João, o prédio foi idealizado pelo comerciante italiano Giuseppe Martinelli e projetado pelo arquiteto húngaro Vilmos (William) Fillinger.

Sua construção foi iniciada em 1924 e se arrastou por dez anos, sendo parcialmente inaugurado em 1929, com apenas 12 andares. Devido à disputa pelo título de maior arranha-céu do Brasil com o Edifício “A Noite”, também em obras no Rio de Janeiro, o comerciante Martinelli foi acrescentando novos andares até se convencer de que havia vencido a disputa, alcançando 30 andares e 105 metros de altura. Mais de 600 operários e 90 artesãos trabalharam nas obras.

Em 2008, a cobertura do edifício foi restaurada e o terraço foi aberto à visitação pública em 2010, permanecendo assim até o início de 2017, quando foi fechado para receber melhorias.

Informações da Secretaria Especial de Comunicação.

Serviço

Quando?

Previsão para abril de 2019

Onde?

R. São Bento, 405 - Centro, São Paulo

Sobre o autor

Jornalista pela PUC-SP e autor do documentário "Pegadas da Lama", escreve sobre Cultura e Cidades. Apaixonado pelas lentes da fotografia e dos documentários, gosta de observar as pessoas, as relações, os prédios e as janelas. Sagitariano inquieto, está sempre indo e vindo por São Paulo em uma relação complexa para poucos caracteres.

Comentários