[Teatro] Quarto 19 – peça impacta público com conflito doméstico

[Teatro] Quarto 19 – peça impacta público com conflito doméstico

Se você não viveu esse cenário com toda certeza deve conhecer alguém que vive, a peça Quarto 19 é uma daquelas que balança o nosso Eu.

Contando a história de uma mulher de classe média que vive uma “vida perfeita”: tem marido bonito e amoroso, três lindos filhos, uma bela casa e estabilidade material. Após anos sem trabalhar fora por escolha própria, para se dedicar à criação dos filhos, ela espera o momento em que o mais novo entrará para a escola, quando finalmente voltará a ter algum tempo para si. Mas quando isso acontece, ela não encontra dentro de si a liberdade que buscava. Numa tentativa de se livrar da irritação doméstica e do intenso ritmo familiar, ela decide alugar um quarto de hotel no centro da cidade, o Quarto 19.

A personagem do conto está consciente de que é prisioneira de alguma coisa maior e, em seu discernimento embotado, passa a acreditar que está doente. Mas o mal que a aflige está também – e talvez principalmente – no âmago da sociedade, e não só em algum lugar escondido das anomalias individuais. A personagem vive assim a luta silenciosa de muitas outras mulheres. Uma luta gigante, onde o desejo de autenticidade se vê̂ barrado por princípios e modelos culturais.

Indicada ao Prêmio Shell pelo trabalho, a atriz impacta público com sofrimento diante conflito doméstico. Com um talento único, a protagonista consegue desenhar os espaços em cena: o quarto 19, o jardim e a casa da família.

 

A MONTAGEM

O cenário e a luz de Marisa Bentivegna criam um espaço limpo e claro, que traz somente uma parede ao fundo, um carpete e uma poltrona. Na cena predominam os tons de verde. O figurino, realista, é de uma mulher comum, e suas cores dialogam com o tom geral da montagem.

A ATUALIDADE DO TEXTO

A atriz Amanda Lyra, também idealizadora do projeto e tradutora do texto, conta:

“To Room 19 foi publicado pela primeira vez em 1963. Esta peça estreou em 2017. Tanto tempo no fim das contas parece tão pouco. É doloroso perceber a universalidade e atemporalidade desse texto. Perceber que estamos nos debatendo com mesmas questões tantos anos depois, com o movimento feminista já em sua quarta vaga.

Mas Quarto 19 vai além de um retrato da condição da mulher. O conto de Lessing questiona o ideal de felicidade da família burguesa, o modelo social racional e inteligente que soterra nossa sensibilidade, nossa selvageria. É uma grande tarefa lutar pela sobrevivência da própria identidade numa sociedade com modelos tão sufocantes. O quarto 19, aqui, é mais do que um espaço físico. Ele é uma metáfora de libertação. Um espaço/estado onde qualquer pessoa pode ser o que quiser, a despeito do que se exige dela na sociedade.”

 

Serviço

Quando?

até 18 de Outubro de 2019.

Onde?

Teatro Eva Herz
Unidade: Conjunto Nacional
Endereço: Av. Paulista, 2073 - Bela Vista - São Paulo/SP

Quanto Custa?

R$50

Classificação:

16 anos

Mais Informações:

Informações técnicas:
A partir do conto de Doris Lessing

Com Amanda Lyra
Direção: Leonardo Moreira
Concepção de Luz e cenário: Marisa Bentivegna

Sobre o autor

Nascida em João Pessoa-PB, mora em São Paulo desde pequena. Atriz, dubladora, poetisa e redatora, apaixonada por tudo que envolva arte: música, cinema, teatro, fotografia, pintura e escrita. "Meus versos são histórias de pessoas dessa cidade não tão cinza". (@poetisa_no_ar)

Comentários