Itaú Cultural realiza homenagem virtual para Hilda Hilst

Itaú Cultural realiza homenagem virtual para Hilda Hilst

Escritora, dramaturga, cronista e considerada uma das maiores escritoras do século XX, Hilda de Almeida Prado Hilst, conhecida como Hilda Hilst, completaria 90 anos hoje. E para homenagear a grande história de uma das maiores referências da literatura brasileira, o Itaú Cultural, convida à todos – de forma completamente digital – a mergulhar no universo da artista.

Em www.itaucultural.org.br/ocupacao/hilda-hilst/ é possível acompanhar de perto a trajetória da escritora com fotos originais de suas obras fundamentais, textos manuscritos, anotações sobre o seu cotidiano e processo de criação. Um áudio de uma entrevista concedida por ela à jornalista e também poeta Luiza Mendes Furia, fotos pessoais e alguns de seus admiradores, como a cartunista Laerte Coutinho, declamando alguns de seus poemas preferidos, entre outros.

Autora de obras como KadoshJúbilo, memória, noviciado da paixão, Com meus olhos de cão, além de A obscena senhora D. e O caderno rosa de Lori Lamby. Os últimos dois títulos mencionados também podem ser apreciados, em audiovisuais no site da organização. 

Em um deles, a atriz Iara Jamra fala sobre o processo de encenação de O Caderno Rosa de Lori Lamby, adaptado para o teatro, com direção de Bete Coelho. Em outro, é possível assistir à atriz Suzan Damasceno em um trecho do monólogo A Obscena Senhora D, adaptado em 2013, com direção de Donizeti Mazonas e Rosi Campos. 

Na Enciclopédia Itaú Cultural (https://enciclopedia.itaucultural.org.br/pessoa3170/hilda-hilst) é possível encontrar também sua biografia completa, com links para os espetáculos derivados de suas obras e para outros artistas que a influenciaram como Gregório de Matos, Bernardo Guimarães, Lygia Fagundes Telles e Caio Fernando Abreu, possibilitando uma pesquisa ampla sobre seu universo.  

Hild Hilst nasceu no dia 21 de abril de 1930, em Jaú, e morreu em Campinas em 4 de fevereiro de 2004.

Sobre o autor

Jornalista pela PUC-SP e autor do documentário "Pegadas da Lama", escreve sobre Cultura e Cidades. Apaixonado pelas lentes da fotografia e dos documentários, gosta de observar as pessoas, as relações, os prédios e as janelas. Sagitariano inquieto, está sempre indo e vindo por São Paulo em uma relação complexa para poucos caracteres.

Comentários