5 escritoras para ler no Medium e refletir

5 escritoras para ler no Medium e refletir

Durante esse período conturbado que nos encontramos, nesse isolamento social que se pede necessário, estamos passando por oscilações naturais de humor. Mais vulneráveis, mais sensíveis, enfrentando essa pandemia mundial, seguimos em busca de um amanhã melhor. Com isso em mente, compartilho aqui algumas autoras que através de suas palavras, me ajudam – e podem ajudar você também.

Estamos sempre em busca de novos filmes para assistir, séries, livros pra ler, é o normal dessa geração. Ainda mais agora que estamos em casa. Mas como enxergamos os artistas anônimos? Como nos relacionamos com os artistas “menores”? Os conhecidos já esgotamos quase tudo, seus sons, filmes, etc., mas e os desconhecidos?

Acredito eu, particularmente falando, que existe um espaço maior para esses criadores à margem da evidência, um espaço tanto psicológico – que faz com que continuem expondo seus pensamentos independente do retorno – e um espaço de expressão: suas criações se tornam muito mais verdadeiras por serem deliberadamente dependente de si mesmas. O que é lindo. Cada texto, cada palavra, cada sentimento, exteriorizado numa dimensão pessoal, não é incrível? Arriscado ao mesmo tempo – um ato de coragem. Uma vez escrito, postado, tornado público, nunca se sabe quem vai ler – mas se espera que leiam, suponho.

Com essa reflexão que trago uma seleção – minha – de escritoras que encontrei no Medium (uma plataforma de publicação de textos que funciona como blog) e me surpreendem, me tiram momentaneamente dessa loucura que é e está o mundo, uma distração saudável e várias descrições – por suas vozes – que funcionam como ferramentas para reflexão, pensamentos durante essa quarentena, agora vocês que irão ler não estarão mais tão “sozinhos”. Compartilharão do mais íntimo de outras pessoas, seus pensamentos.

Foto de Mariane Vilas-Boas.

Com descrições sensíveis, Mariane Vilas-Boas nos traz em seus textos uma pessoalidade dilacerante, algumas listas do que fazer – um de seus vícios assumidos em seus textos – e notas curtas transbordando em sentimentos.

Com o seu texto: em um relacionamento complicado.; fala sobre sua relação com a cidade de São Paulo, com sobrevive nela!

Já Andreza Spinelli Ballam, mostrando suas ideias nuas e cruas sobre suas relações e como as vê e age de sua perspectiva sóbria e madura; “a minha existência já é uma vingança porque eu sempre trago boas novas que chegam rasgantes“.

Com o seu texto: big romance; levanta questões e nos força o pensamentos. Numa declaração dura.

Os poemas de Isabella Paloma são achados incríveis no Medium, com seus fluxos de pensamentos e construções ácidas. Como num dos títulos, “pássaro paulista“, me parece que sua poesia realmente voa longe – e nos leva junto com ela.

Com o seu texto: linha vermelha demonstra com o estilo uma reação visceral sobre a vida.

Temos em Jéssica Adib textos que narram histórias incríveis de um ponto de vista espetacular. Contos, crônicas, aforismos – uma imensidão de palavras e sentidos para serem descobertos e experimentados.

Com o seu texto: #músicanorádio nos leva para uma viagem, quase um sonho lúcido (e insisto em dizer e relembrar aqui que essas são minhas impressões e interpretações sobre os textos) que levanta questões e nos instiga a tentar responder junta dela. A frase “é você dentro de você pedindo explicação” retirada do contexto, resume bem essa vontade enorme que temos de consumir e buscar por mais e mais conhecimento.

E pra finalizar temos Alice Castelo “rabiscando as coisas que sente” em textos bem descritivos e poesia. Expondo uma vivência cotidiana que se assemelha à muitos.

Com o seu texto: Roteiros matinais descreve sua rotina e seu ritual de todas as manhãs de fazer um café antes de qualquer coisa para enfrentar o mundo. Tecendo reflexões sobre comportamentos enquanto medita sobre sua vida.

Importante lembrar: essa seleção parte de um caráter totalmente individual, meu gosto pessoal. As pequenas descrições sobre os textos, são minhas interpretações. Aproveitem!

Sobre o autor

Pernambucano sobrevivendo em São Paulo. Agora de máscara.

Comentários