Carreata promovida por colégio da Zona Norte aproxima alunos e professores

Carreata promovida por colégio da Zona Norte aproxima alunos e professores

O distanciamento social e as incertezas sobre a pandemia que estamos vivendo tem provocado consequências emocionais em adultos, adolescentes e crianças, que tiveram que se adaptar à nova realidade. Buscando minimizar a saudade e os impactos da mudança brusca de rotina de seus alunos, o Colégio Caetano Álvares (Rua Ramal dos Menezes, 23/63 – Lauzane Paulista), localizado na zona norte de São Paulo, realizou no último sábado (8) a “Carreata da Família CCA”.

Durante aproximadamente 2 horas, alunos e familiares passaram por um corredor de amor e alegria com professores, coordenadores e demais colaboradores, em uma das ruas de acesso ao colégio. A ideia da carreata foi aceita pelos pais e todas as medidas de distanciamento social foram respeitadas. Ao todo, cerca de 20 carros compareceram, com aproximadamente 120 pessoas envolvidas, entre integrantes do colégio e famílias.

“Os pais e responsáveis têm relatado a ansiedade dos alunos, tanto os menores quanto os adolescentes, pois tiveram essa mudança drástica na rotina, e nosso objetivo era minimizar a saudade da escola”, explica Márcia Borriello, diretora geral do colégio.

Uma pesquisa do Núcleo Ciência Pela Infância (NCPI) divulgou no documento “Repercussões da Pandemia de Covid-19 no Desenvolvimento Infantil” uma análise sobre as mudanças abruptas impostas pela pandemia, apontando que as mudanças podem atrapalhar o desenvolvimento de crianças na primeira infância (0 a 6 anos), algumas delas já frequentadoras do ambiente escolar. A Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) também está conduzindo pesquisas para analisar as mudanças psicológicas e comportamentais de adolescentes. Em ambos os casos, as declarações dos familiares e das próprias crianças e adolescentes são relevantes.

“Recebemos relatos de crianças que pedem para passar em frente ao colégio, ou que perguntam até quando ficarão sem ver a professora e os colegas pessoalmente. De fato, para crianças e adolescentes, a ausência das aulas e do convívio tem um grande peso emocional”, explica Renata Lombardi, diretora pedagógica da escola.

Foto: Colégio Caetano Álvares

Um pouco de alegria em tempos de isolamento social
Até quem não tinha carro deu um jeitinho para participar. Foi o caso do pequeno Lucca Freitas, aluno do 1º ano do colégio, que foi levado por sua irmã. “Eu gostei muito da iniciativa, e desde que o Lucca soube que teria a carreata, já pediu para participar. Mesmo sem carro eu o trouxe, e foi muito bom ver a alegria dele por estar aqui. Mesmo sem o contato físico, a festa foi linda”, afirmou Isabela Freitas, irmã de Lucca.

Alguns adolescentes também participaram no carro com seus pais. Para cada veículo, houve festa, música e os votos de que tudo isso passe logo. “A iniciativa foi linda, estão de parabéns. Só gratidão”, declarou Alessandra Dórea, mãe de Vinícius Dórea, que está no 9º ano.

Além da recepção calorosa, o CCA organizou uma arrecadação de alimentos não perecíveis que serão doados a instituições sociais apoiadas pelo colégio. De dentro do carro, as famílias entregaram as doações.

“Estamos certas de que a carreata fez uma grande diferença, tanto para as famílias quanto para os professores. Foi incrível! O colégio já oferece suporte com lives de entretenimento, atividades físicas e orientação psicológica para alguns casos, desde o início da pandemia; mas sempre que possível faremos mais, esperando que tudo isso passe logo para que a rotina seja restabelecida”, concluiu Raquel Carone, coordenadora pedagógica do Ensino Médio.

 

Observação: o Sobreviva em São Paulo não se responsabiliza por possíveis mudanças nas informações acima, que são válidas até esta data.

Sobre o autor

Publicitário, especializado em Marketing e Comunicação Integrada. Amante da vida, encantado por pessoas e suas singularidades. Fã inveterado de filmes de terror, ouvinte assíduo de música jamaicana e rock pesado. E, claro: Vai, Corinthians!

Comentários