Restaurante A Baianeira reabre no MASP com novidades

Restaurante A Baianeira reabre no MASP com novidades

Fechado em razão das medidas mais restritivas impostas pela pandemia de covid-19 desde 17 de março, o restaurante MASP A Baianeira, sob o comando da chef Manuelle Ferraz, reabre suas portas no próximo dia 27 de novembro, sexta-feira.

Funcionará no almoço de terça a domingo – sendo que, aos domingos, há ainda a possibilidade de degustar o brunch da casa, chamado de Café tardio. O restaurante só fecha às segundas, dia em que o museu também não abre. 

O MASP A Baianeira, aberto no final de 2019, é a segunda unidade do restaurante A Baianeira, que funciona há sete anos na Barra Funda, zona oeste de São Paulo.

Nos dois locais, se faz e se preza a comida brasileira. Manu parte de sua experiência regional crescendo em Almenara, no Vale do Jequitinhonha, município próximo à divisa do estado mineiro com a Bahia, para falar de Brasil. “O vale, o sertão mineiro que me confere identidade, também me une a todo o Brasil. Minha cozinha é um resgate dos nossos hábitos alimentares, um grito urgente de conexão com a nossa cultura. É a verdadeira devoção ao simples e ao que é da nossa terra e que chamo de cozinha popular brasileira”, afirma.

Quem já frequentou ou costumava ir ao espaço dentro do museu vai perceber, de cara, algumas mudanças: mesas de centro que farão as vezes de apoio para louças, para feira do dia, para decoração. 

Essa modificação, por um lado, tem a ver com as novas medidas de segurança que precisaram ser adotadas neste novo contexto, como distanciamento social entre as mesas e funcionamento com até 50% da capacidade total.

Por outro, é fruto de um desejo da própria chef de conectar a cozinha ao salão e remeter a experiência das refeições aos almoços de domingo em família e ao que há de mais festivo e acolhedor neles. “Seguimos a nossa história, mas com a oportunidade de renascer e começar de novo”, diz Manu. Nesta nova fase, a chef deseja trazer uma comensalidade como se ela estivesse recebendo em sua própria casa. Será possível vê-la circulando tanto pelo salão quanto pelos fogões.

Outras medidas, como aferição da temperatura na entrada do museu, utilização obrigatória de máscara, uso de equipamentos de proteção por todos os funcionários e disponibilização de álcool gel para uso ilimitado de todos, também serão adotadas. A reserva não será obrigatória, mas será uma opção aos clientes.

No que diz respeito ao cardápio, ele voltará mais enxuto, mas com a mesma vocação: a de fazer comida simples com ingredientes de qualidade, e sempre com o arroz e feijão como protagonistas. “Não posso dizer que faço cozinha autoral, diria que cedo o meu olhar mais bonito para reproduzir as mesas do Brasil”, conta.

Destaque para o emblemático picadinho de carne de panela (R$ 46), que continuará sendo servido todos os dias, e leva carne de panela cozida lentamente, ovo caipira, couve escura orgânica, banana da terra assada, farofa de manteiga de garrafa, arroz e feijão. Uma das novidades é a carne de sol au poivre de pimenta de cheiro (R$ 54), que é feito com carne de sol de Almenara e o molho clássico francês acrescido e aromatizado com a pimenta de cheiro. Esse prato também estará disponível todos os dias.

Das sobremesas, uma das estrelas é o requeijão de corte do Jequitinhonha na chapa com doce de manga artesanal e folhas de coentro (R$ 20), sempre no menu.

Já o brunch de domingo tem opções para o cliente conhecer um pouco de cada sabor do menu. O combo 2, por exemplo, é composto de pão na chapa com requeijão de corte, banana da terra com mel e amêndoas, suco e cafezinho coado (R$ 39).

Todos os dias, haverá opções de pratos vegetarianos ou veganos, uma proposta condizente com um equilíbrio de consumo de proteína animal valorizado por Manu.

Um dos principais nomes da gastronomia brasileira hoje, Manuelle Ferraz foi reconhecida Chef Revelação pelo prêmio Melhores do Ano Prazeres da Mesa 2018 2019 e teve seu restaurante eleito um dos novos Bib Gourmand (melhor custo-benefício) do Guia Michelin Brasil em 2019 –e permanece na lista em 2020. Em 2019, A Baianeira foi eleito o Melhor Restaurante para se Sentir em Casa, pela premiação gastronômica O Melhor de São Paulo, do jornal Folha de S.Paulo. Em 2020, o restaurante foi o campeão da categoria Bom e Barato pelo voto popular na premiação Comer & Beber, da Veja São Paulo.

SERVIÇO

Endereço: avenida Paulista, 1.578 – segundo subsolo do MASP
Horário de funcionamento:
Terça a sexta, das 11h30 às 15h
Sábado, das 11h30 às 16h
Domingo, das 10h às 16h

Telefone e contato para reserva: (11) 3266-6864

Sempre é bom relembrar que é possível ir direto ao restaurante, sem a necessidade de comprar ingresso para o museu.

Sobre o autor

Desenvolvi a identidade visual do Sobreviva em São Paulo e criei o blog quando a página no Facebook tinha mais ou menos um ano. Atualmente, além de produzir contéudo para o blog e cuidar do back-end, tenho foco no gerenciamento dos perfis do Instagram e Pinterest. Sou graduado em publicidade e propaganda, pós graduado em gestão empresarial e marketing pela ESPM e trabalho em uma agência de publicidade.

Comentários