Coletivo Coletores realiza obras de videomapping que refletem sobre a história de São Paulo

Coletivo Coletores realiza obras de videomapping que refletem sobre a história de São Paulo

Os shows “Tebas Rememória” e “Pujança Editada” dão voz às comunidades pretas e periféricas, em 5 e 6 de dezembro.

A arte digital do videomapping se funde ao patrimônio histórico e cultural da cidade de São Paulo, sob a ótica do Coletivo Coletores, da Zona Leste da cidade. A dupla de artistas Toni Baptiste e Flávio Camargo ‘SERES’ vem pensando como criar e manter diálogos seguros no espaço público em meio a uma pandemia.

Nos dias 5 e 6 de dezembro eles assinam três shows de arte digital, gratuitos e ao ar livre, para presentear a cidade ao mesmo tempo em que abordam a questão racial no Brasil.

TEBAS-REMEMÓRIA é um projeto de arte pública digital que parte da trajetória de Joaquim Pinto de Oliveira, popularmente conhecido como Tebas. O artesão e arquiteto brasileiro nascido em Santos em 1721 e falecido em São Paulo em 1811 foi escravo, teve sua alforria assinada aos 58 anos e, a partir de então, se tornou um grande arquiteto durante o Brasil Colonial.

A trajetória de Tebas se funde com a história da cidade de São Paulo, ambas perpassadas por uma série de edições, apagamentos, descobertas e mitos. O espetáculo “Tebas-Rememória” se coloca como uma possibilidade de organizar visualmente grande parte desses fragmentos e acervos através da vídeo projeção mapeada em duas igrejas na região do Centro Histórico de São Paulo.

O primeiro ponto é Igreja da Ordem terceira de Nossa Senhora do Carmo, localizada na Av. Rangel Pestana, 230. O segundo ponto é a Igreja de São Gonçalo, localizada na Praça Dr. João Mendes, 108.

Além possuírem conexão direta com a vida e obra de Tebas, estas localizações são de grande relevância para a cidade de São Paulo, levando ao projeto não apenas um status artístico cultural, mas também propondo o repensar histórico/documental/patrimonial da cidade.

Joaquim Pinto de Oliveira é uma das personalidades mais importantes para a compreensão das transformações urbanas do centro histórico de São Paulo.

Até pouco tempo sua história ainda era marcada por muitas especulações e lendas, resultando em limitações sobre as conquistas de um dos maiores Tebas do Brasil. Embora a nomenclatura Tebas tenha se fundido à figura de Joaquim Pinto de Oliveira, já é comprovado que o termo “Tebas” teve muitos usos dentro das tradições populares no Brasil, sobretudo na cultura afrobrasileira, trazendo consigo um sentido de atribuir este nome a toda a figura que possuía muitas virtudes em diferentes segmentos profissionais e artísticos. Partindo dessa premissa, refletir sobre a vida e obra do Tebas Joaquim Pinto de Oliveira, também nos incentiva a procurar e descobrir tantos outros e outras Tebas. Dessa maneira, o projeto “Tebas-Rememória”, se edifica como uma ponte atemporal, não somente relacionada ao passado e presente da cidade, mas também como possibilidade de prospecção de um novo futuro.

Para o corpo de produção de pesquisa o Coletivo Coletores conta com o apoio do principal pesquisador do Tebas no Brasil, o autor, pesquisador e jornalista Abílio Ferreira. 

O projeto “Tebas-Rememória” acontece dentro da Jornada do Patrimônio 2020, assim como a terceira instalação de videomapping “Pujança Editada”, que será realizada em 5 de dezembro na zona sul da cidade.

PUJANÇA EDITADA é uma intervenção de arte digital, mais um show de videomapping que será realizado no polêmico monumento do Borba-Gato (Praça Augusto Tortorelo de Araújo, 2590). O show abordará o momento como uma espécie de estrutura oca, vazia, pela qual será revelado um “raio-x histórico” contendo iconografias que contam as memórias e resistências de povos que foram subtraídos, violentados e esquecidos ao longo da história.

Todo o conteúdo dos projetos partirão de um olhar histórico em consonância com a proposta da jornada do patrimônio, além de apresentar não apenas leituras visuais, mas também trazer imagens, textos e documentos que promovam – para além de ação visual estética – uma homenagem a memória da cidade de São Paulo.

Tebas Rememória

Dia 05.12 das 19h às 22h
Igreja da Ordem terceira de Nossa Senhora do Carmo
Av. Rangel Pestana, 230 – Centro Histórico

Dia 06.12 das 19h às 22h
Igreja de São Gonçalo
Praça Dr. João Mendes, 108 – Centro Histórico

 Pujança Editada 

Dia 05.12 das 19h às 22h
Monumento Borba-Gato
Praça Augusto Tortorelo De Araújo, 2590 – Santo Amaro

Coletivo Coletores

É um Coletivo de arte/intervenção urbana, formado em 2008, na periferia da Zona Leste da cidade de São Paulo, pelos artistas Toni Baptiste e Flávio Camargo ‘SERES’. O Coletores tem como proposta trabalhar a cidade como meio e suporte para suas ações.

A partir de conceitos como arte e jogo, arquitetura do precário, design social, arte interativa, arte relacional, além do trânsito entre diversas linguagens como: instalação, pichação, fotografia, interfaces de baixas tecnologias, game art, videomapping e publicações impressas.

Sobre o autor

Desenvolvi a identidade visual do Sobreviva em São Paulo e criei o blog quando a página no Facebook tinha mais ou menos um ano. Atualmente, além de produzir contéudo para o blog e cuidar do back-end, tenho foco no gerenciamento dos perfis do Instagram e Pinterest. Sou graduado em publicidade e propaganda, pós graduado em gestão empresarial e marketing pela ESPM e trabalho em uma agência de publicidade.

Comentários