E se São Paulo falasse, o que ela falaria pra você?

E se São Paulo falasse, o que ela falaria pra você?

Atualizado em 10/02/2020

Muitos de nós paulistanos, paulistas que vivem parte da rotina na capital e nativos de outros estados que fazem a vida aqui, adoramos falar aos quatro ventos que amamos ou odiamos a cidade onde moramos/trabalhamos. Ou então, que a amamos E odiamos ao mesmo tempo, como no meu caso. Mas você já parou pra pensar se realmente enxerga tudo que São Paulo te oferece? E se a cidade falasse, o que ela falaria pra você?

Talvez ela falasse que, ao mesmo tempo que você reclama do frio intenso que faz em certa época do ano, deixa de reparar como as pessoas ficam mais elegantes quando essa época chega…

Ou então, que você deveria parar de esbravejar tanto contra o trânsito e aproveitar enquanto está preso nele pra parar de digitar no celular e notar os diferentes tipos de pessoas, desde o jovem com calça jeans rasgada, tatuagens pelo corpo e barba comprida; até o senhor de meia idade, com terno e gravata, que estão no mesmo ônibus que você. Ou na mulher que se maquia no carro da frente, no rapaz que boceja no carro à esquerda e no tiozinho que limpa o nariz com o dedo no carro à direita… Afinal, tamanha diversidade de tribos e hábitos é algo peculiar de São Paulo e não é fácil de se achar em outros municípios, pelo menos não com tanta intensidade.

Mas a cidade poderia também te pedir pra não criticar a longa distância entre sua casa e seu trabalho e começar a enxergar, mesmo que pelo vidro da janela, a bela arquitetura que ela te oferece durante o percurso. O prédio com fachada de vidro, limpo e brilhante; a ponte mal conservada, porém com uma linda vista pro rio; o muro alto e escuro, mas decorado com grafites coloridos e belos…

Ou ainda, ela te diria pra recriminar menos o cinza que a poluição pinta no ar e apreciar mais a variação de tonalidades alaranjadas e inspiradoras que os minutos próximos ao pôr do sol revezam pelo céu…

Sabemos que, algumas vezes, não é tão fácil ceder. Em nenhum relacionamento. Mas vale a pena tentar. E de uma coisa você pode ter certeza: se ouvisse tudo o que São Paulo falaria, o principal beneficiado seria você mesmo! Em uma relação, a outra parte quer que nos sintamos bem, para que a gente possa fazê-la se sentir bem também.

A cidade nos mostra diversos motivos pra amá-la. Ou odiá-la. Como em qualquer relação, o sentimento que temos depende muito do que esperamos. Mas não podemos esquecer que uma relação, em seu sentido mais básico, é uma troca, uma reciprocidade. Daí fica a pergunta: o que você está oferecendo de bom para a cidade?

Sobre o autor

Publicitário, especializado em Marketing e Comunicação Integrada. Amante da vida, encantado por pessoas e suas singularidades. Fã inveterado de filmes de terror, ouvinte assíduo de música jamaicana e rock pesado. Vive uma relação de amor e ódio com São Paulo. E, claro: Vai, Corinthians!

Comentários

Leave a Comment