Vale do Anhangabaú é reaberto ao público e concedido a consórcio

Vale do Anhangabaú é reaberto ao público e concedido a consórcio

Na última segunda-feira (6), o Vale do Anhangabaú foi integralmente reaberto ao público após um período de obras que, segundo a prefeitura de São Paulo, tinham como objetivo a modernização do espaço.

O prefeito de São Paulo, Ricardo Nunes, entregou na própria segunda-feira a gestão do Vale do Anhangabaú ao Consórcio Viva o Vale. Representantes da organização estiveram na sede da Prefeitura para apresentar a nova programação para o local. Inicialmente, a ideia é fazer um “esquenta” com atividades de lazer, cultura, esportes e educação todos os dias da semana para reapresentar o importante espaço para a população.

Assim, até março de 2022, o Vale do Anhangabaú contará com uma programação gratuita e temática conforme o dia da semana. Nas segundas-feiras, o “É só segunda, RESPIRA!” trará atividades zen com meditação, yoga e movimento para todas as idades. Já as “Terças do Skate” incentivarão a prática do esporte já tradicional do espaço. As “Quartas de Respeito” abordarão atividades como um projeto de percussão e de defesa pessoal para mulheres.

O “Baile de Quinta” apresentará aulas Vogue e de dança, para todas as idades. O “Rolê de Sexta” transformará o Anhangabaú em uma grande pista de Roller Disco para a prática de patins, esporte que ganhou espaço com a reabertura do Vale. Aos finais de semana, o “Sábado SP” trará comidas tradicionais e exposições de artistas e o “Domingo para todas as idades” será a ocasião ideal para encontros, com rodas de conversas e treinos livres.

Concessão do Anhangabaú

Segundo a prefeitura paulistana, o contrato de concessão do Anhangabaú tem o valor de R$ 55 milhões e contempla a gestão, manutenção, preservação e ativação sociocultural de mais de 70 mil m2 de espaços públicos na região central: baixo do Viaduto do Chá, Viaduto Santa Ifigênia, Vale do Anhangabaú, Praça Ramos de Azevedo, trecho da Av. São João, Praça do Correio, escadaria da Rua Dr. Miguel Couto, parte da Avenida São João entre a Avenida Ipiranga e a Rua São Bento e 11 quiosques na área central do Vale. Inclui, ainda, 8.730 m2 das Galerias Formosa e Prestes Maia.

A concessão é válida por 10 anos e, além da promoção de atividades diárias (música, teatro, gastronomia etc.) o Viva o Vale poderá locar espaços no local para comércio, alimentação e eventos.

Fonte: Secretaria Especial de Comunicação/Prefeitura de São Paulo

Foto de topo: Prefeitura de São Paulo (crédito na imagem)

 

Observação: o Sobreviva em São Paulo não se responsabiliza por possíveis mudanças nas informações acima, que são válidas até a data de publicação.

Sobre o autor

Publicitário, especializado em Marketing e Comunicação Integrada. Amante da vida, encantado por pessoas e suas singularidades. Fã inveterado de filmes de terror, ouvinte assíduo de música jamaicana e rock pesado. E, claro: Vai, Corinthians!

Comentários