Black Eyed Peas mistura hip-hop e música eletrônica no Ibirapuera

Black Eyed Peas mistura hip-hop e música eletrônica no Ibirapuera

Tudo o que é bom infelizmente acaba… É esse o sentimento que deixou a série de shows Itaipava de Som a Sol, que entre o fim de setembro e os primeiros dias deste mês levou ao Ginásio do Ibirapuera cinco grandes artistas internacionais para protagonizarem noites memoráveis.

Depois de Weezer, Dave Matthews Band, Seal e Nickelback, no dia 4 de outubro foi a vez do Black Eyed Peas pisar no palco do Ginásio e encerrar (com chave de ouro) a série de shows.

Apesar de ter sido um dos principais nomes da música pop nos anos 2000, com vários hits e clipes entrando em paradas de todo o mundo, o Black Eyed Peas hoje enfrenta um certo, digamos… probleminha: muitos fãs ainda não superaram a saída da cantora Fergie, ex-membro da banda que decidiu seguir carreira solo. Além de extremamente talentosa, Fergie era o carisma em pessoa e foi peça fundamental para o sucesso do grupo em suas tempos áureos. Por isso, até hoje a imagem do BEP é bastante atrelada à dela.

Vivendo novos tempos sem a cantora e mostrando ter superado isso, o Black Eyed Peas veio a São Paulo após oito anos da última visita ao Brasil (no Rio, em 2011 – fato lembrado pelo líder Will.I.Am no Ibirapuera) e não decepcionou os fãs.

Na noite daquela gostosa sexta-feira, o DJ Ammo (@djammo) e sua música eletrônica fizeram no palco o aquecimento para o show do BEP. 22h foi o horário em que Will.I.Am, Apl.de.Ap, Taboo e alguns músicos de apoio finalmente apareceram para o público – que enchia o Ginásio do Ibirapuera.

Foto: Ricardo Matsukawa/Mercury Concerts

E logo de cara, anunciando o que estava por vir, o trio já mandou logo um de seus principais hits: “Let’s Get It Started”, que fez a galera pular ao ritmo da música. Na sequência, “Imma Be” e “Rock That Body” continuaram a festa, sendo seguidas por “Boom Boom Pow” – momento no qual o trio apresentou à plateia sua mais nova integrante, a cantora Jessica Reynoso, finalista do programa “The Voice” das Filipinas que Apl.de.Ap conheceu e convidou para integrar a banda.

E a cantora realmente mostrou porque seu talento conquistou Apl.de.Ap, exibindo uma voz impressionante e uma energia no palco digna do Black Eyed Peas – já que todos os integrantes a todo tempo animavam a plateia, pulavam e andavam de um lado para outro.

No show, houve um momento em que um grupo brasileiro de street dance participou e dividiu o palco com o BEP, além das várias ocasiões, entre uma música e outra, em que Will.I.Am perguntava ao público: “Quieres más?”, recebendo respostas positivas, é claro.

Foto: Ricardo Matsukawa/Mercury Concerts

Quanto ao setlist, obviedades e surpresas. As obviedades foram os hits consagrados e que não podiam faltar, como “Pump It”, “Don’t Lie” – música que há muito tempo a banda não tocava ao vivo, “Don’t Stop the Party”, “Where Is the Love?” e “I Gotta Feeling”, que encerrou a apresentação. As surpresas foram uma versão de “Mas que Nada” (sim, essa mesma que você pensou, do Jorge Ben Jor), um DJ set solo de Will.I.Am e “Explosion”, música que o grupo lançou dias antes do show e que originalmente conta com a participação da cantora Anitta. Segundo Will.I.Am, “Explosion” não estaria no setlist, mas a banda mudou de ideia e resolvei incluí-la, mesmo sem Anitta para cantar junto. Assim, a plateia do Itaipava de Som a Sol foi a primeira a ver a música sendo tocada ao vivo.

Para a festa ter ficado completa mesmo, acho que faltaram apenas três hits dos diversos que a banda imortalizou: “My Humps”, “Shut Up” e “Don’t Phunk With My Heart”.

Em resumo, o Black Eyed Peas transformou o Ginásio do Ibirapuera em uma pista de dança, com um mix de música eletrônica, hip hop e pop, atingindo as expectativas do público e fazendo-o relembrar com doçura a primeira década dos anos 2000. Veja abaixo o setlist executado pela banda:

Let’s Get It Started
Imma Be
Rock That Body
Boom Boom Pow
Pump It
Just Can’t Get Enough
Rockin’ to the Beat
Bebot
Mas que nada (cover de Jorge Ben Jor)
Don’t Lie
DJ Set de Will.I.Am: This Is Love – OMG (cover de Usher) – #thatPower – Scream & Shout
Don’t Stop the Party
The Time (Dirty Bit)
Where Is the Love?
eXplosion
I Gotta Feeling

Sobre o autor

Publicitário, especializado em Marketing e Comunicação Integrada. Amante da vida, encantado por pessoas e suas singularidades. Fã inveterado de filmes de terror, ouvinte assíduo de música jamaicana e rock pesado. Vive uma relação de amor e ódio com São Paulo. Ótima companhia pra uma cerveja gelada. E, claro: Vai, Corinthians!

Comentários