Saiba como o estresse pode afetar sua saúde capilar

Saiba como o estresse pode afetar sua saúde capilar

Há aproximadamente um ano e meio, muita gente, não só no Brasil como também em vários outros países, vive um período difícil e conturbado diante das consequências emocionais e psicológicas provocadas pela pandemia da Covid-19. 

Depressão, incertezas, angústia, crise econômica, desemprego, perdas de entes queridos, mudança na rotina diária, entre várias outras coisas, estão levando muitas pessoas a desenvolver quadros graves de estresse.

O estresse não é novidade, principalmente para quem vive na agitação das grandes cidades, mas piorou ainda mais com o quadro provocado pela pandemia. O quadro consiste em reações orgânicas e psíquicas provocadas por um estímulo externo negativo e que desequilibra todo o nosso organismo, algumas vezes de forma altamente perigosa. Os sistemas imunológico, cardíaco, vascular, entre outros pontos, podem ser afetados. Diante de tamanha desordem, o corpo tenta reagir, mas de maneira desordenada, prejudicando assim até mesmo a saúde da pele e dos cabelos.

A velha expressão “perdendo os cabelos”, que costuma ser usada em situações de tensão ou nervosismo, não são apenas palavras, é o que acontece, de fato, em muitos casos de estresse: os fios de cabelo começam a cair. “É importante entender os motivos pelos quais o estresse afeta a saúde do couro cabeludo e, consequentemente, ocasiona a queda dos fios”, explica a médica tricologista Luciana Passoni.

Segundo a Dra. Luciana, ao passarmos por uma situação de estresse, o organismo libera cortisol, em conjunto com outros hormônios. O corpo busca, então, se proteger daquilo que lhe está causando desconforto. “O problema é que a constante liberação de hormônios afeta o bom funcionamento dos nossos sistemas, que não conseguem mais controlar o nível de substâncias químicas no sangue”, pontua a médica.

Muitas pessoas, em quadros de nervosismo, tensão ou ansiedade, reclamam da queda dos cabelos, e isso é um dos sintomas relacionados ao estresse. “O jeito mais fácil de identificar que a queda dos fios está relacionada ao estresse é o eflúvio telógeno, uma perda difusa de cabelos que aumenta diariamente. Apesar de a condição afetar todo o couro cabeludo, pode ocasionar a queda dos fios em certos lugares, onde fica mais perceptível. Qualquer desequilíbrio emocional pode atrapalhar o ciclo de vida dos folículos pilosos, antecipando assim o estágio de queda”, analisa a tricologista. 

A queda de cabelo pode gerar preocupação, mas a Dra. Luciana Passoni explica que esse tipo específico de perda dos fios, provocada pelo estresse e estado emocional, é reversível, desde que a causa do problema seja tratada e amenizada ou eliminada. Mudanças no estilo de vida, por exemplo, podem ajudar a lidar e ter certo controle com situações mais estressantes.

A dor de cabeça, sono e estômago desregulados, dificuldade de concentração, humor explosivo, depressão e ansiedade estão entre os sintomas mais comuns do estresse. “A exposição a situações de estresse por um longo período pode provocar o surgimento de doenças tanto físicas quanto emocionais”, alerta a farmacêutica Aline Sampaio. As alterações intensas do fluxo sanguíneo desencadeiam problemas cardiovasculares. “É a principal doença ligada ao estresse, causando irregularidades no aparelho circulatório e até mesmo provocando o entupimento das veias e artérias, refletindo também no funcionamento de outros órgãos”, explica Aline. Outro alerta que a farmacêutica traz é em casos mais graves de estresse crônico, que pode evoluir para um AVC ou infarto, além dos transtornos alimentares.

Como combater o estresse crônico?   

Para conter os sintomas do estresse, é necessário incluir na rotina alguns cuidados, como uma boa alimentação, o que regula os hormônios liberados no organismo, incluindo a serotononina – o hormônio da felicidade. “Para diminuir e controlar a ansiedade, as pessoas devem incluir alimentos ricos em magnésio, ômega-3, fibras, probióticos, triptofano. Também é interessante consumir banana e chocolate meio amargo”, recomenda Aline Sampaio, que diz ainda que a boa alimentação somada a atividade física e sono regular de no mínimo 7 horas ajudam a controlar o estresse.

Médica tricologista, a Dra. Luciana Passoni, faz uma lista de cuidados pessoais que ajudam a minimizar ou eliminar os sintomas provocados pelo estresse e, além disso, sanar a queda dos fios de cabelos:

Planejar uma alimentação balanceada. “Quando não há alimentação saudável, os cabelos sofrem com a deficiência de nutrientes”, alerta Luciana;

Melhorar a qualidade e quantidade de sono pode trazer diversos benefícios. “Poucas horas diárias de sono deixam o indivíduo mais vulnerável a cometer erros, que, consequentemente, causam situações de estresse”;

Estar perto da natureza diminui os níveis de substâncias relacionadas ao estresse, melhorando a saúde mental, diminuindo a tensão e a ansiedade, “o que reflete de forma positiva também na saúde da pele e dos cabelos”, afirma a especialista; 

Praticar exercícios físicos, pois eles geram efeitos positivos no estado de humor do indivíduo, proporcionando um melhor bem-estar psicológico.

Com esses cuidados, e estando sempre alerta para as reações do corpo diante de situações estressantes, a saúde – inclusive dos cabelos – provavelmente estará sempre sob controle.

Foto de topo: imagem ilustrativa/Freepik (wayhomestudio)

 

Observação: o Sobreviva em São Paulo não se responsabiliza por possíveis mudanças nas informações acima, que são válidas até a data de publicação.

 

Sobre o autor

Publicitário, especializado em Marketing e Comunicação Integrada. Amante da vida, encantado por pessoas e suas singularidades. Fã inveterado de filmes de terror, ouvinte assíduo de música jamaicana e rock pesado. E, claro: Vai, Corinthians!

Comentários