SP em casa: conheça séries da Netflix gravadas em São Paulo

SP em casa: conheça séries da Netflix gravadas em São Paulo

A diversidade cultural e as diferentes paisagens dentro de uma só cidade fazem de São Paulo um local ideal para ambientação de produções de diferentes gêneros. De série de terror em apenas um bairro, até produções futuristas gravadas em diferentes regiões, a metrópole é palco para contação de muitas histórias. Com a pandemia do novo coronavírus, muitas pessoas, que costumavam dar rolês pela cidade, pouco aproveitaram neste ano. Mas,  não é preciso sair de casa para conhecer a capital paulista. Confira 8 séries disponíveis na  Netflix e gravadas em São Paulo. 

Black Mirror ‘Striking Vipers’

O episódio Striking Viper, da quinta temporada da série, apresenta ao público os amigos Danny (Anthony Mackie) e Kall (Yahya Abdul-Mateen II) que jogam online um game de luta que transporta os participantes para uma realidade virtual na qual sentem tudo o que os avatares sentem durante a partida.  

A produção da Netflix foi gravada em diferentes pontos de São Paulo, como o alto do Edifício Copan, o Viaduto Santa Ifigênia, o Viaduto Plínio de Queiroz e até a redação do jornal Folha de S. Paulo

Bom dia Verônica

Apesar de deixar bem claro que a história se passa em São Paulo, é normal o público ter dificuldade ou até mesmo não reconhecer os locais que aparecem na série. A verdade é que o diretor, o carioca José Henrique Fonseca, fez questão de privilegiar ângulos pouco tradicionais da cidade. Logo, até a Avenida Paulista, que o paulistano já está habituado, aparece de um ponto de vista diferente. 

O enredo conta a história de Verônica (Tainá Müller), uma escrivã da Delegacia de Homicídios e de Proteção à Pessoa, da Polícia Civil, que cansada da função burocrática, passa investigar casos de feminicídios. Em meio às investigações, Verônica conhece Janete (Camila Morgado ), uma mulher casada com um policial militar que é um serial killler, interpretado pelo ator Eduardo Moscovis. 

Na série aparecem locais como a Ponte Estaiada, Marginal Pinheiros, Terminal Sacomã (e não o Terminal Rodoviário do Tietê, como muitos pensam), Praça Roosevelt, Praça da República e alguns outros lugares. 

Spectros 

Totalmente ambientada no bairro da Liberdade, a produção mescla folclore com lendas tradicionais japonesas. Na trama, um grupo de amigos são transportados para o mesmo bairro, mas no ano de 1858, época em que acontecimentos bizarros assombram a sociedade. O bairro passa a ser perseguido por espíritos do passado com desejo de vingança

3%

A primeira série brasileira da Netflix, narra a história de uma sociedade na qual os recursos naturais se esgotam e a todo ano um rigoroso e contestável processo seletivo recruta 3% dos jovens para habitarem o único local com qualidade de vida e abundância de suprimentos, conhecido como Mar Alto. 

A série, que chegou a sua quarta e última temporada em 2020, foi gravada em periferias de São Paulo e também na Arena Corinthians, Parque da Juventude, Vila Madalena e Heliópolis.  Parte das cenas que mostram o Continente, local onde a população reprovada no teste vive, foi gravada em uma fábrica desativada no Brás. 

Sintonia

A série se passa na fictícia Vila Áurea, uma comunidade inspirada nas favelas paulistanas. Boa parte das cenas foram realizadas na Favela do Jaguaré, na zona oeste de São Paulo. 

Sintonia conta a história dos amigos Doni (Jottapê), Nanda (Christian Malheiros) e Rita (Bruna Mascarenhas), que vivem na mesma comunidade e são apresentados ao mundo da música, da religião e das drogas. Os três seguem caminhos diferentes e tentam lidar com os desafios e problemas que surgem de suas próprias escolhas. 

Sense8

Depois de duas temporadas a série Sense8 chegou ao final em 2018. O último episódio tem cenas feitas em São Paulo, em plena Avenida Paulista durante a parada LGBTQ+. Os atores vieram para capital paulistana e participaram da parada que marcou o encerramento da série. 

A série conta a história de um grupo de pessoas de diferentes locais do mundo e que estão conectadas mentalmente e passam a ser perseguidas. A produção foi cancelada devido ao fato da audiência ter sido mais baixa do que o esperado. Entretanto, a segunda temporada concluiu toda a história para que os fãs não fiquem sem respostas. 

O Mecanismo

Com Selton Mello, Caroline Abras e Henrique Diaz no elenco e assinatura de José Padilha na direção geral, o Mecanismo se debruça sobre a corrupção brasileira e a Operação Lava-Jato. Boa parte das cenas foram feitas em estúdio e no Rio de Janeiro, entretanto, algumas gravações também ocorreram em Curitiba, Brasília e em São Paulo. 

Na série, Marco Ruffo (Selton Mello) é um delegado aposentado da Polícia Federal que é obcecado por um caso de lavagem de dinheiro. Na investigação, recruta sua aprendiz Verona Cardoni (Caroline Abras). Pouco a pouco o trabalho dos dois toma proporções tão grandes, que muda a vida dos envolvidos. 

A Irmandade

Mais uma produção nacional e policial da Netflix. A história se passa nos anos 90 e apresenta a vida de Cristina (Naruna Costa), uma mulher que descobre que seu irmão, Edson (Seu Jorge), que estava desaparecido, na verdade está na cadeia por comandar uma facção criminosa. A mulher então passa a se infiltrar na organização, a pedido da polícia, como informante. Entretanto, Cristina começa a questionar a lei e a Justiça do país. 

Boa parte da série foi gravada em Cubatão e em um presídio em Curitiba.

Atualizado em 03/2021
Foto por Shot by Cerqueira em Unsplash 

Sobre o autor

Bruno Machado é jornalista e sobrevive em São Paulo desde quando nasceu. Sua relação com essa cidade é um clássico romance clichê: se odeiam pelas manhãs, se amam ao decorrer do dia e é apaixono por suas noites. Em meio a essa selva-jardim de concreto, descobre a cada dia, locais que todo morador, turista e demais sobreviventes dessa cidade merecem conhecer. No final das contas, Caetano tinha razão, "Alguma coisa acontece no meu coração, que só quando cruza a Ipiranga com Avenida São João".

Comentários