Entre SP e RJ: no meio do caminho, a cidade de Cunha

Entre SP e RJ: no meio do caminho, a cidade de Cunha

Conhecida pelos ateliês de cerâmicas e lavandários, a pequena cidade  de Cunha tem lindas pousadas e passeios para quem busca sossego 

Fundada em 1724, na região que era conhecida na época colonial como Facão, com clima de serra e a calmaria de cidade do interior, Cunha fica entre as serras da Quebra-Cangalha, Bocaina e do Mar, a 1.010 metros de altitude, com uma paisagem de tirar o fôlego.

Atrações e construções coloniais fazem parte das rotas turísticas da cidade, que teve parte do seu desenvolvimento graças ao caminho do ouro, que hoje conta com uma charmosa área urbana, com bastante tranquilidade e clima familiar. E uma curiosidade: Cunha não tem semáforo!

Com uma grande reserva de Mata Atlântica, é possível visitar muitas cachoeiras e trilhas e até mesmo ficar nas áreas de camping no pico de colinas. Além de tudo isso, a cidade também é conhecida pelas festas culturais como a Festa do Pinhão, o Festival de Verão e o famoso Festival de Cerâmica.

Entre os estados de São Paulo e Rio de Janeiro, Cunha também é muito próxima de cidades turísticas como Paraty, Angra dos Reis e Ubatuba; portanto, se você está planejando usar os lucros dos fundos de investimentos para visitar algumas dessas cidades, indicamos que reserve uns dias e dê uma passada em Cunha!

5 atrações de Cunha

Pedra da Macela

A Pedra da Macela é um dos pontos mais altos da cidade, a 1.840 metros de altitude, e conta com uma das melhores vistas de toda a região. Em dia de céu aberto, é possível enxergar, além de Cunha, Paraty, Ilha Grande e Angra dos Reis. A subida até o pico exige um pouco de condicionamento físico; além da trilha, há uma subida íngreme de cerca de dois quilômetros. 

Contemplário

Um dos passeios que mais faz sucesso na cidade. Lá, é possível passear pelos campos de lavanda, fazer piqueniques e tomar um cafézinho da tarde com vista panorâmica das montanhas.

Dividido em duas partes, o Contemplário tem uma área onde é permitido circular entre as plantas e outra com uma subida para a plantação, não aberta para visitantes. Além disso, o espaço tem uma loja onde são vendidos artesanatos e produtos fabricados a partir da lavanda. 

Canto das Cachoeiras

Repleto de atrações e passeios entre a Mata Atlântica, o eco parque possui diversas trilhas, mirante e muitas cachoeiras para conhecer.

No restaurante, o clima é bem familiar, e o café da manhã colonial é o destaque: servido todos os sábados e domingos, das 8h30 às 10h30, com reserva prévia. 

Capela de São José da Boa Vista

Uma das mais bonitas e charmosas atrações históricas de Cunha, a capela oferece uma vista incrível para a cidade e para as montanhas. Originalmente, o local era pouso das tropas exploradoras que vinham de Paraty. Mesmo com as modificações ao longo do tempo, o local não perdeu sua beleza e importância histórica. 

Ateliês de cerâmica 

A cidade é considerada um dos mais importantes centros de cerâmica do país e da América do Sul. Chamada de “capital da cerâmica”, Cunha possui 17 pontos dedicados à produção de peças. Mesclando tradições orientais e indígenas-ibéricas, as peças são delicadas e inovadoras.

O destaque no circuito é o Forno Noborigama, introduzido em Cunha em 1975. Os seis fornos que estão em atividade na cidade utilizam a técnica de tradição milenar oriental de queimar as cerâmicas à lenha durante 32 horas. Fundamental para o turismo, o passeio pelos ateliers é um cartão-postal da cidade. 

 

Sobre o autor

Desenvolvi a identidade visual do Sobreviva em São Paulo e criei o blog quando a página no Facebook tinha mais ou menos um ano. Atualmente, além de produzir contéudo para o blog e cuidar do back-end, tenho foco no gerenciamento dos perfis do Instagram e Pinterest. Sou graduado em publicidade e propaganda, pós graduado em gestão empresarial e marketing pela ESPM e trabalho em uma agência de publicidade.

Comentários