Sant´Ana Sebo: A casa da literatura no bairro de Santana

Sant´Ana Sebo: A casa da literatura no bairro de Santana

Fachada do Sant´Ana Sebo

Com livros para todos os gostos, sobre diversos assuntos e de diversos, temas, o Sant´Ana Sebo já é um lugar conhecido pelos moradores e frequentadores do bairro de Santana.  Localizado na simpática Rua Salete, o lugar oferece entretenimento e distração tanto para os clientes quanto para os observadores dos títulos na vitrine.

Ivani Constantino, de 61 anos, é a proprietária do Sant´Ana Sebo e diz sempre ter trabalhado como costureira. Entretanto, após alguns problemas de saúde, foi obrigada a largar a área. Foi nesta época que um amigo colecionador lhe deu de presente um acervo de mil livros, o que fez com que surgisse a ideia de abrir um sebo. E em 1997 nascia o Sant´Ana Sebo, no bairro de Santana, na zona norte de São Paulo.

Dentre os problemas enfrentados, dona Ivani lembra que no início as vendas foram um deles, a arrecadação com o novo negócio era o suficiente apenas para pagar as despesas, não obtendo muito lucro.

Após dez anos de trabalho, o Sant´ Ana Sebo precisou se mudar. O espaço ocupado já não comportava a quantidade de livros que tinha no acervo e em 2007 o sebo passa a funcionar no número 296 da Rua Salete.

Hoje, vinte anos após a inauguração, o cenário já é bem diferente do início, os mil livros iniciais se tornaram exatos

Prateleiras que vão do piso até quase o teto oferecem uma diversidade de livros.

54.518 catalogados, que se somados as revistas e livros em outros idiomas totalizam um acervo de mais de 100 mil livros distribuídos em mais de vinte categorias. As prateleiras, que vão do piso até quase o teto, são divididas por seções e assuntos, direcionando o cliente ao tema que mais lhe agrada, desde romances até áreas do conhecimento. O espaço também oferece vinis, CDs e DVDs e HQs.

O acervo é composto por livros de diversas épocas, desde contemporâneos como “Diário de um Zumbi do Minecraft”, de 2016, até clássicos da literatura brasileira, como uma edição de 1955 de “A Moreninha” de Joaquim Manuel de Macedo. Além de sagas famosas como Harry Potter, Senhor dos Anéis, Game of Thrones, e muitas outras.

 

ORGANIZAÇÃO

Ivani Constantino no balcão do Sant´Ana Sebo

Para dona Invani Constantino, um dos maiores problemas na administração de um lugar como o Sant´Ana Sebo é a organização. O simples fato pegar um livro de devolvê-lo a uma prateleira diferente da qual foi retirado, pode atrasar a vida de muita gente. “O cliente vem e pergunta por um livro, eu consulto no sistema e diz estar em um lugar, quando vou ver não está, então tenho que ficar procurando enquanto o cliente espera. As vezes, só de colocar [o livro] na prateleira debaixo de onde tirou, já é o suficiente para eu não achar.” Conta dona Ivani, que diz deixar os clientes manusearem os livros à vontade, apenas pede para que os deixem sobre o balcão para que sejam levados de volta à prateleira que vieram.

Dona Ivani também conta que a administração do local exige trabalho e dedicação, o que faz com que, ao contrário do que muitos pensam, ninguém tenha tempo de ler durante o expediente de trabalho: “As pessoas olham e pensam, ‘deve ser uma maravilha trabalhar aqui, eu leria o dia inteiro’, o problema é que não temos tempo para ler, lemos em nossas casas, depois que saímos daqui”.

 

SISTEMA DE TROCA

O Sant´Ana Sebo oferece a seus clientes um sistema de compra e troca de livros. Além de comprar livros usados o sebo oferece descontos em troca de livros adquiridos no lugar. Ou seja, uma pessoa que compra determinado livro no Sant´Ana Sebo, caso queira comprar outro, tempo depois, pode devolver o livro comprado, como forma de pagamento e pagar a diferença em dinheiro ou sair de lá com um ticket para próxima compra, caso o livro escolhido seja mais barato que o comprado anteriormente.

 

SERVIÇO.

O Sant´Ana Sebo fica na Rua Salete no número 296, no bairro de Santana. Funciona de segunda a sexta das 9h30 às 18h30 e aos Sábados das 10h às 16h.

Este slideshow necessita de JavaScript.

 

Sobre o autor

Bruno Machado é jornalista e sobrevive em São Paulo desde quando nasceu. Sua relação com essa cidade é um clássico romance clichê: se odeiam pelas manhãs, se amam ao decorrer do dia e é apaixono por suas noites. Em meio a essa selva-jardim de concreto, descobre a cada dia, locais que todo morador, turista e demais sobreviventes dessa cidade merecem conhecer. No final das contas, Caetano tinha razão, "Alguma coisa acontece no meu coração, que só quando cruza a Ipiranga com Avenida São João".

Comentários